A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, abriu nesta segunda-feira (19), a exposição “Amazônia”, com 16 painéis do fotógrafo Sebastião Salgado que integram um projeto sobre os povos e a biodiversidade da região. As imagens foram doadas para o acervo do STF pelo fotógrafo e sua esposa Lélia Wanik Salgado, que também é curadora da mostra. Os ministros Dias Toffoli, vice-presidente, e Rosa Weber, também estiveram presentes na abertura.

A presidente do STF lembrou da atuação de Salgado, que além de fotógrafo, desenvolve projetos de preservação ambiental e recuperação de nascentes a partir do plantio de mudas e a formação de um banco de sementes de espécies nativas da Mata Atlântica. A ministra destacou, também, a importância do Judiciário para garantir a eficácia das normas ambientais e assegurar um meio ambiente equilibrado e saudável para as gerações futuras.

Sebastião Salgado observou que a Amazônia é a última grande porção de floresta tropical do planeta e que é obrigação de todos preservá-la. Segundo ele, existem na região de 80 a 100 populações indígenas isoladas ainda não contatadas, vivendo da mesma forma que há 4 mil anos. “Essas populações indígenas representam a pré-história da humanidade, e feliz o país como o nosso que pode conviver com sua pré-história”, disse.

O fotógrafo e ambientalista expressou sua felicidade pelo fato de as imagens estarem expostas no STF, em razão da importância do Tribunal para o país. “Aqui é a casa que representa a ética de nosso país e essas imagens representam a pureza de nosso país. Eu acho que essa combinação é perfeita”, disse Salgado.

Exposição STF

A exposição, com imagens da floresta e de cenas cotidianas de grupos indígenas da Amazônia, como os Korubos, que vivem na Terra Indígena Vale do Javari, ficará aberta ao público de segunda a sexta-feira, no Hall dos Bustos, no Edifício Sede do STF, de 10h às 12h e de 14h às 18h.

FONTE: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=370022&caixaBusca=N