Em pouco mais de duas semanas, foram quase 2 mil pessoas atendidas e mais de 20 mil procedimentos executados

“Estou muito mais nova!”. Foram estas as primeiras palavras de Edileusa Bento Guajajara, no dia 10 de agosto, ao contemplar-se no espelho enquanto usava, pela primeira vez, a prótese dentária confeccionada pelos profissionais da Carreta da Saúde Bucal, na Aldeia Bacurizinho, área de abrangência do Distrito Sanitário Especial Indígena Maranhão (DSEI/MA). Atuando na região desde o dia 23 de julho, a Carreta tem realizado até 120 atendimentos diários, além de outros 50 realizados por trabalhadores do DSEI que também participam da atividade que faz parte do Projeto Sesai em Ação – Saúde Indígena Brasil Adentro.

“Em dois ou três dias, podemos mudar a vida de uma pessoa, ao solucionar problemas de saúde bucal”, comemorou o secretário Especial de Saúde Indígena, Marco Antônio Toccolini, que foi conferir o trabalho da Carreta na Aldeia Bacurizinho, município de Grajaú (MA), em 10 de agosto, e ficou animado com os resultados apresentados pela equipe do DSEI-MA: entre 23 de julho e 10 de agosto, os cerca de 100 profissionais de saúde bucal atenderam 1964 indígenas das aldeias Colônia, Três Irmãos, Elbetel e Bacurizinho. No total, foram 21.673 procedimentos realizados.

A confecção de próteses parciais ou totais foi um dos serviços mais procurados, com 466 peças produzidas e entregues em pouco mais de duas semanas. “A gente via muita gente até com vergonha de sorrir e que agora vai melhorar não só a autoestima, mas também a alimentação”, destacou a enfermeira Tairini Lopes Guajajara, que atua na assistência a seu povo. Enquanto a Carreta esteve na Aldeia Bacurizinho, ela participou de ações de educação e prevenção em saúde.

Para o cirurgião-dentista Fagner de Almeida Sales, que atua na assistência cotidiana em saúde bucal para os moradores da comunidade, a demanda por próteses se deve a uma “cultura da extração”, no passado. “Como atuamos na atenção básica, nível de atenção que prevê a promoção e prevenção da saúde, hoje trabalhamos a saúde bucal em nossa rotina, com palestras, sessões de escovação e outras atividades”, disse Sales, que será responsável pela adaptação dos pacientes da Aldeia Bacurizinho às novas próteses. “Uma ação como essa é muito importante, porque os procedimentos de média complexidade realizados aqui levariam uns 4 anos para serem executados na rede SUS local e alguns serviços não teríamos tão perto, como de endodontia, que não tem no município de Grajaú”, destacou o profissional de saúde.

A Carreta da Saúde Bucal permanece no Maranhão até o dia 26 de agosto, atendendo indígenas das aldeias Angico Torto e Lago Branco, no município de Arame, até o dia 19 de agosto, e na Aldeia Juçaral, município de Amarante, no restante do período. Nestas duas últimas etapas, deverão ser beneficiados 6,3 mil indígenas. No total, estão sendo beneficiadas cerca de 16 mil pessoas, residentes em sete aldeias maranhenses.

Carreta

A Unidade Odontológica Móvel (Carreta da Saúde Bucal) é um caminhão adaptado e acessível para a realização de procedimentos clínicos odontológicos. O veículo é composto por cadeiras odontológicas, aparelhos de ultrassom, compressores, ar condicionado, frigobar, central de autoclave, laboratório de prótese dentária, bancada com pias, armários e escovódromos. Além desses equipamentos, o caminhão transporta todos os insumos necessários para a realização de todo o atendimento disponível em qualquer consultório fixo.

Fonte: http://portalms.saude.gov.br/noticias/sesai/44124-carreta-oferta-assistencia-odontologica-de-media-complexidade-em-aldeia-do-maranhao