Indígenas das comunidades recebem atendimento de médicos e dentistas voluntários para uma série de procedimentos de média complexidade

O voluntariado e as parcerias com organismos privados e governamentais representam um importante apoio a inúmeras ações de assistência à saúde aos povos indígenas promovidas pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI). Órgão do Ministério da Saúde (MS), a SESAI coordena e executa a Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas (PNASPI) e a gestão do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SasiSUS) no sistema Único de Saúde (SUS).

Com a missão de atuar na atenção primária à saúde dos índios – primeiro nível de assistência e principal acesso ao SUS – e levar infraestrutura sanitária aos territórios indígenas, a SESAI viabiliza atividades de média complexibilidade por meio de parcerias com organizações não governamentais e governamentais. São procedimentos realizados por médicos e dentistas voluntários vinculados a ONGs que prestam atendimentos em ortopedia, oftalmologia, ginecologia e saúde bucal – inclusive confecção de próteses parciais ou totais – nos territórios dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs).

Atendimento ampliado aos indígenas

Diferentemente da atenção primária – promoção e prevenção da saúde por atendimentos básicos, educação em saúde, construção de sistemas sanitários –, as ações de saúde com participação voluntária ampliam o acesso dos índios a procedimentos mais complexos, rotineiramente disponíveis em áreas distantes das aldeias. Com as parcerias, a SESAI organiza a logística e cria as condições para que médicos e dentistas voluntários atuem, sempre com o apoio direto das Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSI).

Entre as parcerias, pode-se destacar a ONG Expedicionários da Saúde (EDS), organização não governamental que, junto com a SESAI, realiza expedições em territórios de difícil acesso, para ampliar a assistência médico-odontológica aos índios. Essas expedições ocorrem a partir de mapeamentos e definições de áreas feitas pela SESAI e contam com a participação do Exército e da Aeronáutica, que providenciam o transporte do material necessário aos procedimentos de assistência à saúde, que começam com triagens iniciais dos pacientes realizadas pela Secretaria.

Essas incursões por territórios longínquos exigem grandes esforços e investimentos. Além dos profissionais voluntários que integram a EDS, a ONG disponibiliza barracas para cirurgia e outros serviços, instrumentos e produtos hospitalares, geradores, infraestrutura para períodos pós-operatórios e alimentos para colaboradores e pacientes. Fora a infraestrutura móvel, as equipes da SESAI e EDS também constroem galpões, geralmente utilizados depois para atividades diversas, como centros culturais ou escolas.

Postos estratégicos

Depois de retratar a vida dos índios korubos e ashaninkas em seu projeto “Amazônia”, o fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado teve uma série de fotografias publicada no jornal Folha de S.Paulo, no dia 02 de setembro, sobre o cotidiano dos índios suruwaha, grupo isolado que habita uma região de difícil acesso ao sul do Amazonas, na bacia do rio Purus. A matéria cita indígenas suruwahas que passaram por cirurgias de catarata e hérnia em ações de parceria entre a SESAI e a ONG Expedicionários da Saúde e informa que naquelas terras “a presença do Estado se dá apenas pela casinha da Sesai”.

A estrutura instalada no território dos suruwaha, citada pela Folha de S.Paulo, consiste em uma unidade de saúde na qual são executadas as ações de atenção primária à saúde, tais como vacinação, saúde bucal, vigilância alimentar e nutricional, entre outras. As ações são executadas pelas Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSI) do Distrito Sanitário Especial Indígena Médio Rio Purus (DSEI), que acompanham regularmente a comunidade.

Expedicionários da Saúde

A organização não governamental Expedicionários da Saúde foi criada em 2003 por um grupo de médicos voluntários dispostos a levar medicina especializada, principalmente atendimento cirúrgico, a comunidades indígenas, especialmente aquelas localizadas em áreas de difícil acesso. Por meio de um Complexo Hospitalar Móvel, a EDS organiza três expedições anuais com tecnologia de ponta e médicos voluntários para realização de cirurgias e orientação do pré e pós-operatório, além de atendimento clínico, pediátrico, ginecológico, oftalmológico, ortopédico, odontológico e treinamento dos profissionais de saúde locais.

Conheça alguns programas e projetos SESAI / Parcerias: http://portalms.saude.gov.br/noticias/sesai/44374-parcerias-ajudam-a-ampliar-a-assistencia-da-sesai-aos-indigenas

Fonte: http://portalms.saude.gov.br/noticias/sesai/44374-parcerias-ajudam-a-ampliar-a-assistencia-da-sesai-aos-indigenas