Entre os temas de destaque, a convivência entre a biomedicina e a medicina tradicional indígena

Carreiro Castanho é uma região a aproximadamente 100 km de Manaus (AM). O acesso se dá por uma estrada, em sua maior parte asfaltada, depois de atravessar o encontro dos rios Negro e Amazonas. Foi nessa cidade que foi realizada a etapa local da 6ª Conferência Nacional de Saúde Indígena (6ª CNSI). A etapa juntou as comunidades dos municípios de Castanho e Manaquiri.

No primeiro dia eram quase 100 presentes, entre trabalhadores do Ministério da Saúde, agentes de saúde e usuários do SasiSUS, tanto os credenciados como delegados como os convidados. Ao longo da manhã e da tarde, foram realizadas rodas de conversa e plenárias que discorreram sobre os sete eixos que compõem a CNSI. Foi abordada, por exemplo, a questão da integração entre a biomedicina e a medicina tradicional indígena.

O segundo dia reuniu os presentes em grupos de trabalho para discutir os eixos e formular, a partir do documento orientador, as propostas a serem encaminhadas. Tais propostas foram votadas pelos mais de 70 delegados credenciados e serão levadas para a etapa distrital. No total, foram eleitos 24 delegados para a etapa distrital: 12 do polo base Castanho e 12 do polo base Manaquiri.

A assistente social e coordenadora de relatoria da etapa, Janiacley Mendonça, já participou de outras duas Conferências Nacionais de Saúde Indígena e ressalta a importância do espaço: “é nas Conferências que nós mudamos na política de saúde indígena do país. A própria Sesai, por exemplo, foi uma reivindicação do povo indígena. Mas nós ainda temos muito a conquistar.”

Para o presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena (Condisi) do DSEI Manaus, Zé Almir dos Santos Gomes, a etapa nacional só renderá bons frutos se for antecedida por boas participações nas etapas locais e distritais: “nós, enquanto Controle Social, comunidade e gestão participativa, somos essenciais para que a etapa local proporcione um bom entendimento entre nós e, consequentemente, o desenvolvimento da saúde.”

Ao todo são 12 regiões que o DSEI Manaus abrange, com etapas locais previstas ou já realizadas: Mancapuru, Manicoré, Beruri, Castanho, Manaquiri, Maruringa, Autazes, Itacotatiara, Rio Porto da Eva, Nova Olinda do Norte e Borba. Todas essas regiões se farão representadas na etapa distrital, prevista para o período entre 18 e 20 de dezembro. A etapa final da Conferência Nacional de Saúde Indígena será realizada em maio de 2019, em Brasília.

Fonte: http://portalms.saude.gov.br/noticias/sesai/44660-dsei-manaus-realiza-primeira-etapa-local-da-conferencia