Como forma de prevenir o contágio entre populações vulneráveis, o Ministério da Saúde lançou um “Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo novo Coronavírus (COVID-19) em Povos Indígenas”. Elaborado pela equipe técnica da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), em conjunto com o Comitê de Operações de Emergências (COE), o documento traz orientações sobre como deve ser o atendimento aos indígenas com sintomas da covid-19.

 

O plano estabelece, por exemplo, que os casos suspeitos de coronavírus tenham prioridade, de modo a diminuir o tempo de contato com os indígenas presentes no local de atendimento. O registro do atendimento deve ser feito no prontuário do paciente e inserido no Sistema de Informação da Atenção à Saúde Indígena (SIASI) no menor tempo possível, entre outras orientações.

 

Ao todo, o Ministério da Saúde, por meio da Sesai, produziu e disponibilizou 12 documentos com informações destinadas aos 34 Distritos Especiais de Saúde Indígena responsáveis pelo atendimento a quase 800 mil indígenas em todo o país. Os documentos estão disponíveis para gestores, colaboradores e sociedade em geral em www.saude.gov.br/saude-indigena.

 

Desde o início da pandemia da covid-19, a Fundação Nacional do Índio (Funai) também adotou uma série de medidas preventivas para evitar o contágio nas aldeias. Entre elas, está a suspensão de ingresso em terras indígenas de todo o país.

 

Fonte: Ministério da Saúde

Assessoria de Comunicação / Funai

 

 

Fonte: http://www.funai.gov.br/index.php/comunicacao/noticias/5965-coronavirus-plano-de-contingencia-orienta-gestores-sobre-acoes-preventivas