Claudinei está hospitalizado e não corre risco de vida; Mãe da vítima atribui violência ao preconceito

O indígena Claudinei Leite Tucumã, do povo Kawaiweté-Kayabi, teve problemas com a moto na semana passada e parou em uma propriedade rural para pedir ajuda, em Juína (MT). No entanto, o jovem agricultor foi recebido com dois disparos certeiros de arma de fogo. O autor dos tiros foi identificado e a vítima se recupera numa unidade de saúde da cidade.

Monica Maria Mani é mãe de Claudinei e reclama justiça. “A gente não pode deixar assim como aconteceu. Hoje foi ele, amanhã pode ser outro. A gente tem que tomar providência pra isso não acontecer mais”, sustenta. A técnica de enfermagem se diz triste e revoltada com versões dos fatos que apontam seu filho como criminoso.

Na avaliação de Monica, a grande motriz deste tipo de violência é o preconceito. “Ainda existe muita discriminação do branco contra o indígena. Mas nós somos iguais, um ser humano só. A gente tem visto muita coisa na mídia, com falas preconceituosas. Pelas coisas que a gente vê sendo noticiadas, se meu filho tivesse morrido, ele ia partir como se fosse um ladrão”, lamenta.

O Conselho Indigenista Missionário (Cimi) solicitou ao Ministério Público Federal (MPF) que o caso seja acompanhado. “Este tipo de violência nos remete a uma questão fundamental que é armamento, com toda a liberação no governo atual do acesso ao porte, especialmente na zona rural. Isso gera muita insegurança, para além desta situação específica”, salienta Gilberto Vieira dos Santos, coordenador do Cimi Regional Mato Grosso.

Gilberto destaca que este caso está inserido no contexto de violência que assola os povos indígenas no Brasil. “É importante lembrar que, embora se torne muito mais evidente em situações como esta, de atentados à bala, a violência contra indígenas está presente em muitos momentos, como em casos cotidianos de racismo. Aqui no MT, recentemente, quatro indígenas chiquitano foram chacinados pela polícia. Isso precisa ter fim. É preciso garantir que os direitos dos povos sejam respeitados”.

Fonte: https://cimi.org.br/2020/09/indigena-busca-ajuda-e-e-recebido-a-tiros-no-mt-ainda-existe-muita-discriminacao-do-branco-contra-o-indigena-diz-mae-da-vitima/