• O  Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) inaugurou dois espaços de aleitamento materno em abrigos para migrantes e refugiados da Venezuela em Manaus (AM).
  • Os espaços, chamados de “Riconcitos de Amamantamiento”, apoiam mulheres venezuelanas, incluindo indígenas da etnia Warao, durante o período de amamentação.
Os espaços, chamados de “Riconcitos de Amamantamiento”, apoiam mulheres migrantes e refugiadas da Venezuela, incluindo indígenas da etnia Warao, durante o período de amamentação.
Os espaços, chamados de “Riconcitos de Amamantamiento”, apoiam mulheres migrantes e refugiadas da Venezuela durante o período de amamentação.

O  Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) inaugurou dois espaços de aleitamento materno em abrigos para migrantes e refugiados da Venezuela em Manaus (AM). Os chamados “Riconcitos de Amamantamiento” têm como objetivo orientar e reforçar para as mães a importância da amamentação, principalmente nos primeiros meses de vida do bebê.

“Os espaços servem de apoio às mães migrantes venezuelanas que estão em período de amamentação. A ideia foi criar um ambiente de conscientização sobre a importância do aleitamento materno que fosse também acolhedor, para que elas se sintam à vontade e seguras”, disse a consultora de Saúde, Nutrição e WASH (sigla em inglês para água, saneamento e higiene) do UNICEF em Manaus, Neideana Ribeiro.

Os “Riconcitos de Amamantamiento”, inaugurados em parceria com a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (Adra) no dia 27 de agosto, contam com uma equipe especializada em saúde, com profissionais de enfermagem e nutrição disponíveis para auxiliar as mulheres em caso de dúvidas e orientações durante o processo de amamentação.

A iniciativa beneficia diretamente 16 mulheres, sendo 12 da etnia indígena Warao no abrigo Tarumã-Açu 1, e quatro migrantes venezuelanas no abrigo Coroado. Um terceiro espaço será inaugurado no abrigo Tarumã-Centro, também em Manaus.

No Pará, o UNICEF mantém espaços de aleitamento materno para mulheres migrantes e refugiadas em abrigos em Belém e Santarém. A criação de um ambiente de troca de vivências sobre maternidade entre as participantes também é uma das finalidades do projeto.

Os bebês até os seis meses de idade devem ser alimentados somente com leite materno. Após essa idade, deve ser dada alimentação complementar apropriada, mas a amamentação deve continuar até o segundo ano de vida da criança ou depois. Saiba mais.

Fonte: https://brasil.un.org/pt-br/95010-unicef-inaugura-espacos-de-aleitamento-materno-para-mulheres-migrantes-em-manaus

Thank you for your upload