A Fundação Nacional do Índio (Funai) comunica, com imenso pesar, o falecimento do servidor José Oado, de 60 anos, no último dia 20 de dezembro de 2020. Indígena representante do povo Guarani-Kaiowá, Oado era também professor de História no Instituto Benjamin Constant e atuava na preservação e promoção do patrimônio cultural indígena por meio da ampliação do acesso das obras bibliográficas do Museu do Índio ao público com deficiência visual, do qual também fazia parte.

Sua atuação fez do Museu do Índio um dos pioneiros na preocupação com a acessibilidade. Durante os 37 anos em que trabalhou no museu, o servidor transcreveu lendas e narrativas indígenas para o braille e auxiliou o público da Biblioteca Marechal Rondon no uso do Dosvox, ferramenta que possibilita às pessoas com deficiência visual realizar pesquisas no acervo bibliográfico. “Era bom ver como o José se sentia respeitado, importante e digno com o trabalho que fazia”, comentou Carlos Augusto Freire, servidor aposentado, ao lembrar o início da trajetória de Oado no Museu, nos anos 1980.

A Funai lamenta profundamente a perda e se solidariza com os familiares, amigos e colegas do servidor. Já o Museu do Índio orgulha-se por poder carregar consigo o legado de seu trabalho singular.

Assessoria de Comunicação / Funai
com informações do Museu do Índio

 

 

Fonte: https://www.gov.br/funai/pt-br/assuntos/noticias/2021/nota-de-pesar-servidor-jose-oado