A Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), do Ministério da Saúde, leva assistência básica de saúde a quase seis mil aldeias de norte a sul do Brasil. Quando há necessidade de atendimento especializado, como exames ou consultas com médicos especialistas, os 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI) precisam encaminham os pacientes até as cidades mais próximas. Agora os Distritos terão equipamentos para consulta à distância através da Telessaúde, uma estratégia de Saúde Digital do Ministério da Saúde.

Exames e consultas com médicos cardiologistas, oftalmologistas, dermatologistas e pneumologistas serão feitos nos Polos Base, em área indígena, reduzindo o deslocamento dos pacientes para exames de rotina ou consultas nas cidades. Esta importante estratégia garante a permanência dos indígenas nas aldeias durante a pandemia causada pela COVID-19 e agiliza o tempo de atendimento. Os casos de urgência e emergência continuarão sendo removidos pelos DSEI até a rede hospitalar do Sistema Único de Saúde (SUS) mais próxima.

A Telessaúde utiliza internet banda larga do Programa Conecta Brasil, do Ministério das Comunicações, que está sendo implantando em 330 pontos de internet, via Governo Eletrônico – Serviço de Atendimento ao Cidadão (GESAC), nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas. Muitos Polos Bases e Unidades Básicas de Saúde Indígena (UBSI) da região amazônica estão em áreas indígenas de difícil acesso onde clima e logística dificultam o deslocamento das equipes e dos indígenas.“Saiba mais”.

Mais de 755 mil indígenas serão beneficiados com medicina a distância em todo país. “Esses equipamentos agregados aos pontos de internet da Telebrás vão proporcionar o vencimento de barreiras geográficas, a interiorização da saúde e no combate à COVID-19. E com certeza trarão mais qualidade de vida aos indígenas em seus exames rotineiros sem que precisem sair de suas aldeias”, afirma o secretário especial de Saúde Indígena, Robson Santos da Silva.

A Equipe de Saúde Volante da SESAI e as EMSI dos Distritos, incluindo as Equipes de Reposta Rápida, receberão capacitação para a utilização dos equipamentos. “A Telessaúde reduz o tempo de atendimento, os custos de deslocamento de pacientes e profissionais de saúde e possibilita atendimento com especialistas em áreas de difícil acesso”, explica o assessor da SESAI, Carlos Colares.

EQUIPAMENTOS

Os equipamentos serão doados à SESAI pela empresa de mineração Vale e devem chegar até o mês de julho nos 34 Distritos. Os kits conterão: maleta de proteção, notebook, webcam de alta resolução, monitor paramédico portátil e telequipamentos de cardiologia, pneumologia, oftalmologia e dermatologia.

Todos terão garantia estendida de dois anos além da garantia padrão. Os exames serão feitos nos pacientes pelas equipes locais e receberão o diagnóstico médico de especialistas a distância.

Desde o início da pandemia, a Vale tem apoiado ações que beneficiem povos indígenas e outras comunidades tradicionais nas áreas onde atua no Pará, Maranhão, Espírito Santo e Rio de Janeiro. “Essa parceria com a SESAI nos traz grande satisfação. A temática indígena é um dos pilares do nosso planejamento estratégico, que foca no etnodesenvolvimento, valorizando a preservação da memória cultural, no fortalecimento do protagonismo dessas populações e em programas sustentáveis como esse”, comenta Hugo Barreto, diretor de Sustentabilidade e Investimento Social Voluntário da Vale.

Fonte: https://saudeindigena.saude.gov.br/corona

Thank you for your upload