A Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados realiza audiência pública nesta sexta-feira (10) para debater o papel das mulheres indígenas no combate às ameaças a seus povos.

O debate integra a programação da “2ª Marcha das mulheres indígenas, mulheres originárias: reflorestando mentes para cura da terra”, que ocorre até amanhã em Brasília.

“Mulheres indígenas de diferentes povos e de vários estados chegam à capital federal para a marcha”, diz o presidente da comissão, deputado Waldenor Pereira (PT-BA), que propôs a audiência. “Queremos ampliar as discussões com as populações indígenas e com a sociedade em geral sobre o desrespeito recente com essa parcela da população”, ressalta.

“Ameaçadas pelo contexto de violência em seus territórios, algumas destas
lideranças denunciam ameaças de garimpeiros, além de invasões e até queimadas ilegais, a exemplo da terra indígena Munduruku, no Pará, onde a sede da associação e também as casas da comunidade foram afetadas”, afirma o deputado.

A primeira marcha, em 2019, reuniu 2.500 mulheres de 130 povos indígenas. O documento final desse encontro dizia “não basta reconhecer nossas narrativas, é preciso reconhecer nossas narradoras. Nossos corpos e nossos espíritos têm que estar presentes nos espaços de decisão”.

“Com participação de mais de 4 mil mulheres indígenas, a segunda marcha vai dar continuidade à mobilização nacional de luta pela vida, iniciada em 22 de agosto com a participação de 6 mil indígenas no acampamento Luta Pela Vida, até o julgamento do Marco Temporal”, diz Waldenor Pereira.

Debate
A audiência na Comissão de Legislação Participativa está marcada para as 10 horas, no plenário 2. O debate foi sugerido também pelos deputados João Daniel (PT-SE), Leonardo Monteiro (PT-MG), Maria do Rosário (PT-RS) e Professora Rosa Neide (PT-MT).

Foram convidadas para a audiência, entre outros:
– a vice-coordenadora da Federação dos Povos Indígena do Estado do Pará (Fepipa) e representante da Associação das Mulheres Indígenas Munduruku, Alessandra Korap Silva Munduruku;
– a representante do Movimento Unidos do Povo e Organização Indígena da Bahia (Mupoiba), Eliane Patrícia de Sousa (Patrícia Krin Si Atikum);
– a representante das mulheres indígenas Mêbêngôkre (Povo Indígena do Norte de Mato Grosso), Maylu Txucarramae.

Confira a lista completa de convidados

Da Redação
Edição – Pierre Triboli
Com informações da Comissão de Legislação Participativa

Fonte: Agência Câmara de Notícias

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: https://www.camara.leg.br/noticias/803103-audiencia-debatera-papel-das-mulheres-indigenas-no-combate-as-ameacas-a-seus-povos/