Com participação da Fundação Nacional do Índio (Funai), ocorreu nesta sexta-feira (29), em Santa Catarina, o evento de celebração do contrato firmado entre a empresa Ajinomoto e indígenas da etnia Guarani, da comunidade Piraí, no município de Araquari (SC). Durante a cerimônia, os indígenas realizaram uma entrega de peças de artesanato tradicional para a empresa e receberam o pagamento simbólico pelo material confeccionado.

Pela Funai, estiveram presentes o diretor de Promoção ao Desenvolvimento Sustentável substituto, Fabrício Magalhães; o coordenador de Fomento à Geração de Renda, Denis Quadros; e o coordenador regional do Litoral Sul, Eduardo Remus. Para Magalhães, a parceria entre indígenas Guarani e Ajinomoto ainda vai render muitos frutos. “A Funai tem trabalhado para isso, buscando a autonomia dos indígenas justamente para que eles possam buscar novas diretrizes. O artesanato indígena é riquíssimo, e a gente precisa valorizá-lo”.

O cacique Ronaldo recebeu o cheque simbólico e agradeceu a confiança depositada em sua comunidade, manifestando o desejo de dar continuidade à parceria. “Estamos fazendo o máximo possível. E vamos continuar fazendo nosso trabalho”, afirmou a liderança indígena Guarani.

A iniciativa, que recebeu o nome de projeto Guarani 1, beneficiará 126 indígenas de um total de 27 famílias distribuídas em 10 aldeias, e tem o objetivo de valorizar a cultura local e gerar renda à comunidade indígena. Uma das ações será distribuir nos supermercados os brindes de miniaturas de animais silvestres, cestos e colheres de pau feitos pelos indígenas, gerando renda para a comunidade e valorizando a cultura local. Cada brinde feito em madeira mede cerca de 7 centímetros e pode ser afixado nas portas das geladeiras.

Outra meta é substituir os expositores de plástico de supermercados, geralmente utilizados para pendurar temperos, por matéria prima natural. Desse modo, o projeto busca levar à toda a população conhecimento sobre a cultura, usos e costumes da etnia Guarani. A Ajinomoto, preocupada com a preservação do meio ambiente, tem deixado de utilizar o plástico em seus produtos. A empresa estabeleceu uma meta de reduzir o desperdício de plástico a zero até o ano fiscal de 2030.

Segundo Denis Quadros, iniciativas como essa são importantes para garantir a geração de renda para as comunidades. “Esperamos que, com o tempo, outros projetos venham e que sejam exitosos. Parabéns a toda a comunidade. É com muita satisfação que a Funai comparece aqui hoje”, afirmou o coordenador de Fomento à Geração de Renda da fundação.

A comunidade indígena receberá um total de R$ 26 mil para a produção de 4 mil peças de animais e 2 mil expositores em palha. Em agosto, a Funai divulgou a entrega do primeiro lote de itens pelos indígenas. Para otimizar a distribuição das miniaturas em artesanato, a Ajinomoto comprou dos indígenas um conjunto de 2 mil expositores artesanais e biodegradáveis. A empresa pretende, ainda, realizar outras ações de promoção do artesanato indígena para o público em geral. 

Etnodesenvolvimento

Ainda no Sul do país, comunidades indígenas Guarani e Kaingang do Paraná têm obtido renda com a produção da erva-mate nos ervais nativos das Terras Indígenas Mangueirinha, Rio de Areia e Marrecas. A produção beneficia cerca de 700 famílias, que desempenham a atividade em uma área de aproximadamente 30 mil hectares. A atividade conta com o apoio da unidade descentralizada da Funai localizada em Guarapuava (PR).

Assessoria de Comunicação/FunaiCategoriaEmpresa, Indústria e ComércioTags: EtnodesenvolvimentoProtagonismoAutonomiaParceriaNova FunaiCoordenações Regionais

Fonte: https://www.gov.br/funai/pt-br/assuntos/noticias/2021/em-santa-catarina-evento-celebra-contrato-entre-comunidade-guarani-e-iniciativa-privada-para-venda-de-artesanato-indigena