Nesta edição do Bem Viver na TV, uma produção do Brasil de Fato, o programa traz reportagens especiais sobre os saberes ancestrais dos Guarani-Kaiowá, de Mato Grosso do Sul, e das parteiras tradicionais em Pernambuco.

Veja também: Antonio Nóbrega, a tradição da Coco de Arcoverde e as alternativas contra a fome no Bem Viver

Momento Agroecológico mostra as práticas de cura do povo Guarani-Kaiowá a importância da retomada do território para a preservação desses saberes. Mesmo confinados pelo agronegócio, uma pesquisa feita da Universidade Federal da Grande Dourados levantou um número de 31 espécies de plantas de uso terapêutico relacionado ao sistema respiratório, e que foram – e ainda são – usadas pela etnia no enfrentamento à covid-19.

“Eu vejo que hoje as nossas plantas medicinais, elas tem um valor muito alto pra nós, a gente depende muito delas. Eu como professora, eu como mulher, como avó, como mãe, vejo isso a necessidade de a gente continuar trabalhando sobre isso. Eu não digo conscientizar né? Mas é um trabalho mesmo. Falar que ela faz parte da nossa vida como eu já falei. É a nossa vivência né? Nossa cura”, pontua Elda Kaiowá, que vive e é diretora de uma escola dentro da Terra Indígena Amambai. 

Veja também: Bem Viver na TV: Quilombo Ilha de Mercês expande agroecologia no Complexo de Suape (PE)

A etnia enfrenta o poder político e policial de ruralistas na tentativa de retomar suas terras ancestrais, essenciais para sobrevivência e para a preservação da vida e dos saberes dos Kayowá.

E tem mais…

No Mosaico Cultural, especialistas em vida e acolhimento, as parteiras tradicionais são símbolos de protagonismo e autonomia feminina na hora do parto. Conheça o Museu das Parteiras, que valoriza essa prática ancestral no estado de Pernambuco, como explica Dona Prazeres, que já partejou em toda a região metropolitana do Recife mais de 5 mil crianças.

“O museu ele é itinerante, ele não tem lugar certo, aonde convidar a gente vai. E tem uma coisa, e eu vou também. Enquanto existir vida humana na terra, existirá parteira. E a gente continua dizendo isso. Então a gente precisa zelar”, ressalta a parteira e mestra tradicional ao programa.

No quadro de Entrevista, a socióloga Silmara Conchão explica porque o acesso ao aborto precisa ser garantido como um direito humano. “Há um mercado paralelo, ilegal, sustentado por uma criminalização que deveria ser tratada como algo fundamental para a gente melhorar o índice de saúde pública das mulheres aqui no Brasil”, afirma ela.
 
“Porque, para as mulheres que têm dinheiro, que têm recursos financeiros, o aborto é legalizado no nosso país. É hipocrisia a gente não discutir isso. Eu nem entro na discussão do contra ou a favor. Eu acho que a gente tem que tratar a realidade enquanto problema de saúde pública no nosso país”, completa. 

E saiba quais são as principais alergias e como se proteger na Dica de Saúde com a infectologista, Fernanda Arns.

Comida de Verdade

Tem receita no Comida de Verdade! a Letícia Massula, do Blog Cozinha da Matilde, ensina um petisco econômico e criativo: o bolinho de feijão dormido. Confira o passo a passo:

Ingredientes
2 xícaras de feijão dormido amassado ou triturado
½ xícara de cebola picadinha
½ xícara de cheiro verde com coentro ou salsinha a gosto da freguesia
1 pimenta ardida picadinha
Pimenta de cheiro a gosto
Raspas de 1 limão (opcional)
Farinha de mandioca até dar o ponto de enrolar (pouco mais de meia xícara)
Óleo pra fritar
Ovos e mais farinha pra empanar

Modo de preparo
Amasse o feijão dormido com um garfo ou triture de leve na função pulsar do liquidificador.

Depois de amassar o feijão, junte cebola picadinha, cheiro verde, pimenta ardida e pimenta de cheiro picadinhas, raspinhas de limão, sal e misture bem.

Pra dar o ponto de enrolar, junte farinha de mandioca aos poucos e com o cuidado de não deixar a massa muito seca, quanto mais molhadinha melhor vai ficar o bolinho. Experimente o sal.

Enrole os bolinhos e empane passando pelo ovo batido e por mais farinha e frite em óleo quente.

Sirva com pimenta e limão. Bom apetite!

Onde assistir 

Nas redes sociais do Brasil de Fato (Facebook e YouTube); na TVT, no canal 44.1 – sinal digital HD aberto na Grande São Paulo e canal 512 NET HD-ABC; na TVCom Maceió, no canal 12 da NET; na TV Floripa, também no canal 12 da NET; na TVU (Universitária) Recife no canal 40 UHF digital e na TVE Bahia, no canal 30 (7.1 no aparelho) do sinal digital. 

Quando

Na TVT: sábado às 13h30; com reprise domingo às 6h30 e terça-feira às 20h. 

Na TVCom: sábados às 10h30, com reprise domingo às 10h. 

Na TVU Recife: sábados às 12h30, com reprise terça-feira às 21h. 

Na TVE Bahia: sábado às 12h30, com reprise quinta-feira às 7h30. 

Sintonize 

No rádio, o programa Bem Viver vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo e 93,3 FM na Baixada Santista. 

O programa também é transmitido pela Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira. O programa Bem Viver está ainda nas plataformas Spotify, Google Podcasts, Itunes, Pocket Casts e Deezer. 

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: radio@brasildefato.com.br.

Edição: Marina Duarte de Souza

Fonte: https://www.brasildefato.com.br/2022/08/06/bem-viver-a-luta-pela-preservacao-de-sabares-dos-guarani-kaiowa-e-das-parteiras-tradicionais

Thank you for your upload