Atividade criminosa no centro de crise humanitária dos yanomamis usa falhas de fiscalização e brechas na lei

Na última sexta-feira (10), a Polícia Federal e as Forças Armadas deflagraram uma operação para ampliar o cerco ao garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami. A ideia é tirar de circulação maquinários como escavadeiras, balsas e aviões usados na atividade, além de instalar bases policiais permanentes na região, onde atuam mais de 20 mil garimpeiros.

A atividade ilegal, apontada como principal responsável pela crise humanitária dos yanomamis, também é o ponto de partida de boa parte do ouro que pode ser comprado no país.

Levantamento do Ministério Público e de pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais mostrou que pelo menos 30% do ouro comercializado no país de 2021 a meados de 2022 tem indícios de procedência irregular. Normas de fiscalização ultrapassadas e brechas na legislação facilitam o caminho para “esquentar” o produto.

O episódio desta segunda-feira (13) do Café da Manhã ouve a repórter da Folha Alexa Salomão. Ela detalha a estrutura do garimpo ilegal no Brasil, conta qual é o caminho que os criminosos traçam para o ouro e discute as consequências das operações contra a atividade na terra indígena.

O programa de áudio é publicado no Spotify, serviço de streaming parceiro da Folha na iniciativa e que é especializado em música, podcast e vídeo. É possível ouvir o episódio clicando acima. Para acessar no aplicativo, basta se cadastrar gratuitamente.

O Café da Manhã é publicado de segunda a sexta-feira, sempre no começo do dia. O episódio é apresentado pelos jornalistas Gabriela Mayer e Magê Flores, com produção de Carolina Moraes, Laila Mouallem e Victor Lacombe. A edição de som é de Raphael Concli.

Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/podcasts/2023/02/podcast-a-estrutura-do-garimpo-ilegal-e-o-caminho-percorrido-pelo-ouro-no-brasil.shtml

Thank you for your upload